Dúvidas Frequentes

As empresas optam pelo Lean Seis Sigma com o objetivo de melhorar radicalmente o desempenho da organização e saltar à frente de seus concorrentes, obtendo maior lucratividade e gerando mais valor para os acionistas. Uma empresa que tem como meta, por exemplo, dobrar o valor do negócio em um prazo de três anos, poderá adotar o Lean Seis Sigma como uma das principais estratégias para o alcance dessa meta.

O entendimento da meta do Lean Seis Sigma pode ser facilitado se fizermos uma comparação entre o padrão atual, no qual grande parte das empresas vêm operando (Quatro Sigma ou 99,38% conforme), e a performance Seis Sigma (99,99966% conforme):

Além disso, os benefícios resultantes de se alcançar o padrão Seis Sigma podem ser traduzidos do nível da qualidade para a linguagem financeira:

Os programas de qualidade anteriormente adotados pela organização devem ser levados em conta e integrados ao Lean Seis Sigma, para que fique claro que eles não foram “abandonados” em função de uma “nova moda”. Isto é: o Lean Seis Sigma deve ser visto como um upgrade para esses programas, que é necessário para garantir à empresa o alcance de metas mais desafiadoras.

O Lean Seis Sigma não substitui a ISO 9001, já que seus objetivos são diferentes: a ISO 9001 é um sistema de gerenciamento da qualidade, enquanto o Lean Seis Sigma é uma estratégia gerencial para a melhoria da performance do negócio. No entanto, o Lean Seis Sigma dá sustentação às normas ISO 9001 e auxilia a empresa a satisfazer os requisitos das normas, já que fornece embasamento a todos os princípios de gestão da qualidade: foco no cliente, liderança, envolvimento das pessoas, abordagem de processo, abordagem factual para tomada de decisão, melhoria contínua, abordagem sistêmica para a gestão e benefícios mútuos nas relações com os fornecedores. Por exemplo, a ISO 9001 requer que exista um processo de melhoria contínua implementado na empresa, mas não diz como – já o Lean Seis Sigma estabelece como implantar esse processo.

Os primeiros resultados surgem em um prazo de quatro a seis meses após o início da implantação do Lean Seis Sigma. Quanto à consolidação da cultura Lean Seis Sigma na organização, já é necessário um prazo maior, de aproximadamente 12 a 18 meses.

No Lean Seis Sigma,  todas  as  pessoas da  empresa, nos diferentes níveis de aprofundamento do programa, são responsáveis por conhecer e implementar seus conceitos e sua metodologia. Portanto, para o sucesso do programa, é necessário treinar pessoas com perfil apropriado, que se transformarão em patrocinadores e especialistas do Lean Seis Sigma, de acordo com o modelo básico a seguir.

Por meio do Lean Seis Sigma, as empresas podem aumentar drasticamente sua lucratividade, com:

  • Redução do percentual de fabricação de produtos  defeituosos;
  • Aumento do nível de satisfação de clientes;
  • Redução do tempo exigido no desenvolvimento de   novos produtos;
  • Redução de estoques, do percentual de entregas com atraso e de custos;
  • Aumento do rendimento dos processos e do volume de vendas.

Atualmente não há dúvidas de que o programa Lean Seis Sigma, quando ele realmente apresenta os requisitos necessários para receber a denominação “Lean Seis Sigma”, é uma estratégia de negócios que veio para ficar e se disseminar, não sendo apenas mais um modismo passageiro na área da qualidade. O programa vem se aprimorando desde então, sendo adotado por um número cada vez maior de organizações, tanto no setor industrial quanto no de prestação de serviços. A divulgação dos resultados financeiros obtidos pelas empresas que implantaram o programa funciona como um excelente catalisador para o seu crescimento.

No que diz respeito ao futuro do programa, é possível destacar as seguintes tendências:

  • Ampliação do reconhecimento da sinergia entre o Seis Sigma e as práticas do Lean Manufacturing, a qual gerou o programa denominado Lean Seis Sigma.
  • Aumento do número de médias e pequenas empresas que implantarão o programa, adotando as adequações ou simplificações necessárias à sua realidade empresarial.
  • Consolidação do Lean Seis Sigma como uma estratégia para criação de valor para as empresas (e não, apenas, para eliminação de defeitos ou redução de custos).
  • Ênfase na integração do Lean Seis Sigma a programas de qualidade previamente existentes na empresa e à certificação de produtos, como as normas da série ISO 9000.